A Banda

Canção travestida de rock. Rock travestido de canções
Texto por Fernando Rosa

De onde menos se esperava, chegou na redação de Senhor F uma demo tosca, mas sincera e bem resolvida em suas canções sessentistas. Tratava-se da Volver, banda de Recife, destacando o hit “Você Que Pediu”, depois incluída em seu disco de estréia. Com cara de “rock gaúcho”, Volver abria o caminho para, além do manguebit, resgatar o clássico pop local e nordestino, que marcou o rock da região nos anos setenta. Era o ano de 2003, a cena independente engatinhava, mas já produzia seus melhores frutos.

A partir de então, a banda só cresceu, lançou o primeiro disco, “Canções Perdidas Num Canto Qualquer” (2005), passou a freqüentar o circuito dos festivais e foi destaque em sites espanhóis de power pop e em publicações nacionais. Em seguida, veio o segundo disco, “Acima da Chuva” (2008), nome que apontava o crescimento da Volver, mais madura em arranjos e poesia. Apesar das dificuldades impostas pelo período de transição do mercado da música, Volver afirmou-se como uma das grandes bandas do Brasil.

Agora, acompanhando a mudança da banda para São Paulo, Volver chega ao terceiro disco, “Próxima Estação”, buscando o reconhecimento de público, fundamental para que a carreira da banda tenha ainda mais consistência e estabilidade. Bruno Souto afirma seu espaço entre os grandes compositores do rock brasileiro desta década, e a banda entrega uma nova leva de canções marcantes, com um sentido pop invejável, clássicas e ao mesmo tempo modernas. O rock brasileiro precisa de bandas como Volver, capazes de sintonizar com o grande público, ou pelo menos com boa parte dele, para consolidar seu espaço no mercado da música nacional.

* Fernando Rosa é pesquisador musical, agitador cultura e editor do portal Senhor F